Moda na Balada

Sex, 26/12/2008 - 03h10    |   Reportar abuso
Por Shay

Moda na Balada

Você é o que você veste
Moda, muito mais que um comportamento, é pertencer a um grupo, é distinção, é a reprodução mais fiel do que as pessoas são ou querem ser. Por isso, esta frase me parece perfeita: diga-me o que tens em seu guarda-roupa, que te direi quem és.

A moda de cada tribo tem sempre um ou mais símbolos muito marcantes e é isso que vamos reproduzir neste especial. As meninas que curtem raves, por exemplo, usam a tal da psybota; os fãs de rodeios usam chapéu e fivela; os meninos do hip hop estão sempre de calça largona. Entre os rockers, os emos cultivam a franja negra, enquanto os punks arrepiam os moicanos e os indies penduram bottons no terninho.

Essa cultura jovial multifacetada é muito legal e é incrível que ela aconteça. Pensa comigo, imagina que chato seria se todos se vestissem de calça jeans básica e camiseta branca? A originalidade de estilos é muito legal e tem que existir, mesmo que seja para uma tribo tirar sarro da outra.

Abaixo esta cada categoria para a Balada:

AXÉ
Os micareteiros que me desculpem, mas a moda deles é uma das mais ridículas no meio musical. Não sabemos quem estipulou que usar o abadá como roupa é bonito, mas não é nada disso. O abadá só serve como identificação no dia da micareta, e é só! Uma coisa que todos micareteiros precisam saber é: ir ao shopping, ao restaurante, à balada, à casa da avó ou a qualquer outro lugar, que não seja uma micareta, de abadá não pega bem!

Voltando a moda do axé, podemos falar que a mulherada capricha no visual. Quando o abadá é necessário, as meninas estilizam os seus para tentar deixá-los menos feios. Saias e shorts jeans são os favoritos entre elas. Nos pés, a melhor opção é o tênis, mas algumas ainda arriscam com uma sandália. É claro que não pode faltar os óculos escuros e a chapinha. Os homens vão à micareta bem "largados", o abadá não dura muito tempo, muitos tiram e fazem de bandana ou amarram em algum lugar do corpo. Não são todos que vão de calça jeans, afinal o calor é muito, então predominam as bermudas. Os tênis costumam ser Nike ou Adidas.

Fashionista
A rigor, todo mundo é fashionista. Pois cada pessoa gosta de se identificar com um estilo e fazer o possível para passar certa imagem. Afinal, roupa e visual, querendo ou não, são responsáveis pelo primeiro impacto que as pessoas têm de nós. Porém, os fashionistas que queremos descrever fazem parte de um grupo bem restrito e, digamos, seleto.

Para ficar mais fácil: eles estão ligados a novos estilistas, eventos de moda e criação de tendências. Por exemplo, a Casa de Criadores - semana de moda de novas marcas, que caminham para o SPFW - é uma das melhores oportunidades para se ver um. Aliás, vários, pois eles estão em todos os lugares que você olhar e cada um com um estilo mais louco e chocante que o outro.

Ora eles possuem um estilo 80s, ora new rave, ora rocker... Enfim, é para parecer uma loucura mesmo, mas eles nunca erram na medida. Toda a mistura e abuso de cores são feitos deliberadamente. Tudo no visual, acredite, está estrategicamente pensando. Para você entender de vez quem eles são, segue alguns ídolos dos fashionistas: Alexandre Herchcovitch, Fabia Bercsek, os estilistas da Ash, da Neon e da Amapô - todas marcas moderninhas.

E se quiser trombar com um por aí, o primeiro lugar que deve ir é ao Glória, pois essa balada está para um fashionista, assim como a Igreja Universal está para um crente. Mas também há outros lugares que eles costumam freqüentar: o D-Edge, o Vegas e o Royal. E também é possível encontrá-los em festivais como Nokia Trends, Motomix e Sónar.

Hip Hop
Quem curte hip hop tem uma maneira típica de se vestir. Poderíamos resumir o estilo de roupa com uma foto de Marcelo D2. Bermuda larga e comprida, camiseta branca com uma regata da NBA por cima, boné do Yankees e um tênis imenso, daqueles de skate. Alguns homens aderem ao black power ou a rasteirinha (trança de raíz). Os acessórios em alta para eles são os de prata: pulseiras, correntes compridas e brincos. Uma moda presente entre eles também, é o número estrondoso de gírias que falam, mas eles se entendem!

A mulherada também é adepta ao boné, mas não curte as roupas largas. Elas preferem salto alto, roupas justas, curtas e decotadas, em um estilo bem próximo a Beyoncé. Mas o lado feminino também pode ter um estilo mais próximo ao da Negra Li. É um look mais descontraído e, em vez de boné, um black power bem cuidado ou uma boina. Pode até usar um saltão, mas uma sandália rasteirinha se encaixa melhor. A calça pode ser jeans e justa, mas um shortinho também fica legal e a blusinha costuma ser decotada. As argolas são acessórios sempre na moda hip hop!

Rock
O rock'n'roll, por essência, reúne muitos estilos em suas diversas vertentes. Desde os mais clássicos, como os rockabillies, aos mais atuais, os emos. Hoje, as tribos roqueiras que mais se destacam por seus looks são:

Metaleiros - os eternos cabeludões, todos de preto dos pés à cabeça, geralmente com camisetas que mostram as bandas que eles gostam. Os mais veteranos aderem também às barbichas, parecido com o visual "viking", e tattoos "malvadas" no corpo. Alguns ainda são adeptos dos acessórios (cinto, bracelete, gargantilha e correntes) com espinhos. E não pode faltar, é claro, o símbolo de "U", formado nas mãos. O negócio é ser maaau!

Punks - ainda existentes por aí, os revolucionários do final dos anos 70, promovedores da ordem por meio da anarquia (?), são peculiares. Seguindo os passos dos amiguinhos aí de cima, eles também são malvados. Mas menos malvados e mais sujinhos. Sim, seu visual é um conjunto de roupas velhas, rasgadas e "2-anos-sem-lavar". Itens es-sen-ci-a-is: jaqueta preta de couro, por cima de uma camiseta muito suja e rasgada (com alguma mensagem do tipo "anarchy for life"), alguns bottons com a bandeira inglesa ou com nomes de bandas, calça jeans surrada e suja colada no corpo, com um tênis qualquer ou coturno. O que é mais importante ainda é o cabelo em moicano, todo espetado (quanto maior, melhor). Alguns preferem a cabeleira em cores como azul, verde fluorescente, roxo, rosa etc.

Posers - chega de maldade. Agora, o negócio é ser o mais colorido e maquiado possível (e isso dá certo, os homens até conquistam cocotas assim). Os posers surgiram como uma diferenciação do metal, só que, como falado, bem mais irreverentes. Eles se vestem com roupas muito coloridas, geralmente rosa e fluorescentes, cheias de brilhos e glitters. O uso de maquiagem e pinturas na cara é obrigatório, e na mesma linha das "roupitchas". O cabelo é item de lei também: volumosos, com franjas, topetes, desfiados, compridos e por aí vai. Nos pezinhos vão sapatos plataforma, com salto ou botas.

Porém, hoje, há ainda um outro tipo de poser. Sim, estamos falando dos rockeiros "sem sal". Sabe aqueles que não sabem se seguem a tendência do estilo ou se continuam "normais"? Pois bem, são esses mesmos. Na verdade, eles são um pouco perdidos pela estrada do rock. Conhecidos também por não saberem sequer o que estão escutando, ou gostam de algo que não conhecem. Entendeu? Bom, é o cru do cru e sem tempero nenhum.

Indies - ainda há dúvidas de qual é realmente a moda dos indies. Eles são uma mistura de retrô-moderninho-nerd. Os brechós são os templos fashion deles. Ou seja, tudo o que a vovó ou o vovô usaram, tá valendo. A tríade terninho-jeans cigarrette-all star sujo é básica. Estampas xadrez, desenhos abstratos e listras são bem freqüentes em suas camisetas. Os meninos usam o cabelo pseudo-comprido, todo bagunçado, com uma certa franjinha. As meninas usam cortes sobrepostos, desfiados, com franjinha "índia", ou alguma fivela segurando as madeixas. Óculos escuros bem grandes, na linha anos 50, é outro item básico. Eles reverenciam a moda (e bandas) inglesa, então gostam de fazer questão de falar (e usar) de bandas que ninguém, em seus dias corriqueiros, conhece. Ou até conhece, mas soa "independente" demais.

Emos - os mais "mansos" do rock, são os famosos chorosos, tristes. Eles merecem descrição de cima abaixo. O cabelo, ponto forte do visual, tem que ter um franja que cobre de 50 a 80% do rosto. Geralmente, pintam de preto e alisam o máximo possível. Já no rosto, é obrigatório o uso de lápis preto nos olhos, com linhas bem grossas (vale para meninas e meninos). As roupas são, na maioria, em branco e preto, listradas, com estampa de oncinha e desenhos infantis. O uso de acessórios é muito valorizado. Ele inclui gargantilhas, colares e pulseiras com dadinhos ou bolinhas (ou cerejinhas), munhequeira que combine com o estilo, cintos de tachinhas e tênis all star ou adidas. Usam jeans em diversas cores ou saias de prega (para as meninas). Eles adoram também piercings ao redor da boca, nos lábios, na sobrancelha, nas bochechas e alargadores nas orelhas.

Há rumores de que os emos têm tendências suicidas e praticam o "corte de pulso", originando algumas cicatrizes na região. Mas isso é o que dizem por aí...



Assuntos Relacionados

moda beijo dançar balada


Comentar

Comentários (
1
)


0 relevância

iarinhaa

postado:
23/04/2009 - 00h29

Não é bem assim..

eu vou a várias micaretas e guardo todos meus abadás..já useeei pra ir em lugares como padaria,locadora e afins..não é ridiculo..isso vai de cada um..eu posso achar ridiculo alguem usar a camiseta do time pra ir ao shopping..dá no mesmo! Desde que haja bom senso pode-se usar o abadá siiim! beeijo

Publicidade

Especiais Vila Mulher

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas

50 tons de cinza beyoncé 50 tons de cinza bolo de cenoura bolo de chocolate cabelos curtos casamento cortes de cabelo decoração dieta dukan emagrecer flor de tecido gravidez kama sutra maquiagem moda das famosas penteados perfumes importados pulseiras reciclagem sapatos sexo anal sexo oral tatuagem unhas decoradas