Traição... O que fazer?

sab, 08/05/2010 - 15h00
  • Imprimir

Estranha a sensação. O que sentir? Raiva? Decepção com outro? Decepção consigo mesma? Uma vontade incontrolável de vingança? Humilhação? Não importa que tipo de relacionamento você tenha com o outro, quando somos traídas, a dor é muito grande. É como se parte de nós fosse destruído.

Mas, e diante de uma traição homossexual? Quando adolescente, tive um relacionamento com uma pessoa. Ele era até muito querido. A família era conhecida. Por uma série de vezes foi ao colégio onde eu estudava para conversarmos na hora do recreio, ou para me levar para casa no final das aulas. Nunca demonstrou nenhum interesse ou qualquer tipo de afeto por homens. Mas, eis que num belo dia, minha mãe chegou para mim e falou: ?Tereza! Saia de fulano! A tia dele veio falar comigo que ele tá de caso com um gay em Trancoso e que esse gay tá até querendo saber quem é a namorada dele aqui no Arraial!?

O primeiro sentimento foi de humilhação. Quando trocadas por uma mulher, o grau da derrota vai de acordo com a beleza da outra mulher. Há casos em que a troca é absolutamente uma derrota para o otário. Que só vai saber o que perdeu quando percebe a burrada que fez. E aí, de nariz bem empinado, desfilando com um carinha melhor do que ele, simplesmente dizemos: ?Perdeu, mané!? Mas, ser trocada por outro, por um homem! Não há grau de derrota. Há derrota humilhante mesmo! Depois vem a raiva. Ô raiva danada! Mesmo que ele não fosse o grande amor de sua vida. Trair? Não! Isso não se faz!!! Em seguida, decepção. Decepção consigo e com o ex. Nossa dedicação, nosso carinho, nosso bem querer, tudo jogado fora. Será que foi pouco demais? Será que o gay soube ser mais carinhoso e mais antencioso do que eu? Não, não desejei vingança. Até porque não ia entrar numa briga contra um gay por alguém que não merecia!

Aqui em Porto Seguro teve caso de mulher que flagrou o marido com outro na cama e, sem muito pensar, descarregou um revólver 38 nos dois. Não acertou nenhuma bala. Mas, a história ficou na lembrança do povo.

A reação diante de uma traição, seja ela qual for, depende muito de pessoa para pessoa. As piores são as reações violentas. Os chamados crimes passionais. Acho que não chego ao extremo de agir violentamente contra uma pessoa. O mínimo que pode acontecer é, simplesmente, sumir da vida do condenado e rogar um monte de praga (muito comum com a mulherada).

  • Imprimir

Comentários