Especiais > Espelho da Beleza |

Zona de conforto

quin, 13/01/2011 - 11h34

A grande verdade é que as pessoas não gostam de sair da sua zona de conforto. Elas delimitam um espaço e nele permanecem com suas certezas, ideais, conceitos, sujeitos, verbos, predicados e interjeições. Acostumam-se com o cotidiano de suas perspectivas e ali permanecem inalteradas.

Talvez hoje em dia o mundo esteja cheio de facilidades, mas não consigo entender a falta de esforço para se alcançar determinadas coisas. A falta de garra ou então uma simples demonstração de interesse já seria o suficiente para transformar o entusiasmo em um caminho concreto para a realização.

Tudo é muito conveniente e uma grande demonstração de sorrisos amarelos e cumprimentos politicamente corretos. Ninguém ousa desafiar os limites, ir além do programado e do pré-estabelecido. Estacionam naquela zona de segurança, quietos e impassíveis, esperando tudo cair no colo.

O que se ganha com isso? Qual a lucratividade desta inércia? Estou sendo muito dura ou isso são apenas reflexos de traumas adquiridos ao longo da jornada? Acho que não. Acredito que mesmo com os tombos deve-se continuar tentando e buscando algo a mais e nunca sentar e esperar as coisas acontecerem.

As pessoas jogam a responsabilidade para terceiros esquecendo-se da sua parcela de contribuição nos acontecimentos do universo. O não movimento também é um movimento e isso pode ser muito bom em alguns momentos, porém dependendo da situação pode ser um desperdício de tempo.

Isso sem falar na falta de foco. É muito conveniente estar perdido. É muito conveniente esperar por uma resposta. É muito conveniente dispersar porque é mais fácil e assim espera-se não ser cobrado. Ledo engano de uma ilusão ingênua sobre hierarquia.

A zona de conforto é um cercadinho erguido pelo medo, pelas aflições, pelas frustrações. Não ache que isso é uma forma natural de proteção, uma seleção natural. Isso nada mais é do que a incapacidade de tomar decisões, enfrentar os fatos e ter atitudes condizentes com a realidade em volta.

Infelizmente o mundo está cheio de conveniências, de zonas de conforto, hipocrisias organizacionais, dos socialmente corretos e suas filosofias pagas de festas beneficentes para socialites, dos que pensam sustentável por ocasião e aqueles que dizem eu te amo como se fosse bom dia.

A grande verdade é que a conveniência é usada como desculpa altruísta e ela nada mais é que um estado primitivo da covardia velada.

NENHUM COMENTÁRIO NO VILACLUB

Comente!

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?

VILACLUB - O conteúdo da rede do Vila Mulher

Top Temas